DECIDINDO O PREÇO DE VENDA

Um indicador de que o preço praticado por uma empresa pode estar errado é quando o volume de vendas está alto, mas a rentabilidade não alcança o planejado. Isto ocorre em muitas empresas que acabam deixando de lado a necessidade de calcular a real margem de lucro que irá remunerar o capital investido pelos seus titulares.

Na hora de definir o preço de um produto, muitos empreendedores alegam falta de tempo e dificuldade para a realização do processo. Uma tendência é a de seguir os preços do mercado, ao invés de formatar o próprio. É claro que é preciso se adequar aos valores da concorrência, mas independente disso, deve-se ter uma forma própria de calcular o preço para saber se a empresa é ou não competitiva. 

Os principais riscos de não saber qual o próprio preço de um produto é ter baixa rentabilidade ou até prejuízo, no caso de não estarem sendo levados em consideração todos os gastos.

Antes de formatar um preço é preciso conhecer a estrutura de custos e o processo operacional da empresa, em seguida ter em mãos todas as despesas de comercialização e definir a rentabilidade mínima necessária, além de estar familiarizado com o significado de algumas expressões técnicas utilizadas no meio produtivo:

Custo Direto do Produto – é a soma da matéria-prima aplicada para a confecção do produto, mais a mão de obra envolvida diretamente com a produção.

Margem de Contribuição – representa o valor que cobrirá os custos fixos, despesas operacionais e as despesas variáveis, ensejando o lucro.

Custos Fixos - são os gastos que existem no setor produtivo da empresa independente da fabricação dos produtos. Os gastos mais comuns são: água, energia elétrica, aluguel, etc.

Despesas Operacionais – são os valores que compõem o custo dos departamentos administrativos da empresa, no esforço para a manutenção da atividade empresarial.

Despesas Variáveis – são os valores gastos quando se realizam vendas de produtos. Como exemplo dessas despesas temos a comissão dos vendedores e os impostos incidentes sobre as vendas.

Lucro Sobre as Vendas – é o retorno desejado pela empresa (%) sobre o preço de venda a ser praticado.

  

Visando simplificar o processo a seguinte fórmula poderá ser utilizada:

                                          CDP

  PV =  --------------------------------------------------- x 100

               100% - % CF - % DO - % DV - % LV

 

Onde:
PV       =  Preço de Venda
CDP    =  Custo Direto do Produto
% CF   =  % Custo Fixo
% DO  =  % Despesas Operacionais
% DV  =  Despesas Variáveis
% LV  =  Lucro sobre as Vendas

  

Exemplo: 

                           $ 100,00
PV
=  -------------------------------------------- x 100
              100% - 20% - 15% - 10% - 5%

  

             $ 100,00
PV
= ---------------- x 100
                 50

 

PV = $ 200,00

  

Demonstração sob a ótica contábil:

 200,00 – Preço de Venda                                 100%
(100,00)
– Custo Direto do Produto                      50%
 100,00 –  Margem de Contribuição                      50%
 (40,00) – Custo Fixo                                            20%
 (30,00) – Despesa Operacional                            15%
 (20,00)
– Despesa variável                                   10%
  10,00
 – Lucro Líquido                                         5%

 

 Com todos os dados levantados e calculados, o empreendedor tem de se voltar ao mercado para saber os valores praticados. Se o cálculo para a formatação do preço de venda for igual ou menor do que a concorrência, ótimo, mas se estiver acima é preciso tentar reduzir custos durante o processo ou diminuir a margem de lucro para viabilizar o incremento das venda

 

Publicado no Mensário do Contabilista. Ano XLVII, edição 489, mar/abr/04