O Aluno Indeciso

Havia um rapaz que queria fazer um curso que fosse o "must".

Porem, ele não sabia que curso era esse. As pessoas à sua volta, na tentativa de ajudá-lo, sugeriam: medicina, direito, economia, contabilidade, ballet, design, pedagogia, informática, teatro, letras etc. Entretanto, nada atendia aos anseios do chamamento interno do referido rapaz.

Alguém sugeriu: visite a universidade "x"; lá, tem uma relação enorme de cursos afixada na parede. Quem sabe, né.

O rapaz foi até lá e, verificando a lista, já em seu final, deparou com o título tão ansiosamente procurado: FILOSOFIA.

Ficou super empolgado, começou a falar para todo mundo que havia encontrado o verdadeiro sentido de sua vocação, e que, dentro de alguns anos, seria um Filósofo.

Após as formalidades de praxe (inscrição, vestibular, matrícula etc), no primeiro dia de aula, na primeira fila, lá estava ele "very entusiastic".

A primeira aula como não poderia deixar de ser: "filosofia". O professor, no afã de impressionar a "os novatos", filosofou em auto estilo. Lá pelas tantas, o rapagão começou a ficar desesperado e seu entusiasmo esvaindo-se; não estava entendo as mensagens, nada fazia sentido para ele.

Finalizada a aula, após todos terem ido embora, interpelou o professor. Contou-lhe todo seu drama e pediu para que rapidamente desse uma versão popular à aula, na esperança de entender o conteúdo e poder continuar seu tão almejado objetivo.

O Professor diante de tão inusitada situação e, muito solicito, deu-lhe uma esclarecedora explicação: meu amigo, "A FILOSOFIA É UMA CIÊNCIA TALE, QUE SEM A QUALE, A VIDA SERIA TALE E QUALE".

Será que o nosso amigo voltou?