O Chinesinho e o Reino

 Um Imperador chinês estava morrendo e não tinha filhos para assumirem o trono. Ele iria então escolher um dentre milhares de chineses "comuns" para substituí-lo, Reuniu todos os chineses em frente ao palácio. Deu a cada um deles uma (semente de flores distintas). Aquele chinês que plantasse a semente, cuidasse dela com muito carinho e apresentasse a mais bela das flores seria o próximo Imperador da China. Na data marcada, na praça em frente ao palácio, haviam milhares de chineses com vasos lindos e flores ainda mais belas.
Flores azuis, rosas e amarelas...
O Imperador então levantou-se e foi até a multidão.
Caminhou durante uma hora no meio daquelas flores maravilhosas.
Foi então que escutou um pequeno menino agachado, chorando. Perguntou ao garoto o que havia.
O Pequeno chinesinho mostrou um vaso feio, somente com terra e nem um sinal de flor alguma.
Disse ao Imperador que havia plantado a semente e que nada havia acontecido. Trocara a terra e pusera mais água e nada mudou. A planta simplesmente não nasceu. O Imperador então voltou ao seu trono e disse àquela multidão que o rapaz que estava chorando era o herdeiro do seu trono.
Disse que havia distribuído sementes secas e mortas a todos.
A honestidade e a coragem do rapaz em enfrentar uma multidão com um vaso feio e sem flor o fizera tomar tal decisão.